12 de outubro de 2017

A criança e o idoso

As pessoas costumam dizer que a pessoa quando envelhece, “volta a ser criança”… em alguns aspectos eu posso concordar, já em outros, não…

Convivo no meu dia a dia, com dezenas de idosos, cada qual com sua personalidade, sua história de vida, suas memórias, enfim, uma vida inteira já vivida! Por outro lado, a criança ainda tem essa vida toda para viver, repleta de desafios e novas descobertas…

A maior dificuldade que vejo no envelhecer dos meus alunos, é a de aceitar as limitações que esse processo traz… Parar de dirigir, por exemplo, é um grande marco na vida de muitos deles… assim como começar a dirigir é um grande feito na vida de um adolescente, antiga criança…
Entender que o corpo não responde mais da mesma forma que há 20 anos, por mais que sua mente acredite que sim, passa a ser igualmente complicado… assim sendo, uma ida ao mercado cansa mais, e uma viagem longa passa a avaliada rigorosamente antes de ser considerada!

A troca de papéis
Reconhecer a troca de papéis entre pais e filhos – estes que antes recebiam ordens e orientações deles próprios – também é muito difícil. Ver o filho como “responsável” por algumas de suas ações não é nada confortável, uma vez que a função de prover sempre foi do pai, e não do filho!
E aqui sim, acredito que possamos fazer um paralelo entre idosos e crianças, no momento em que os pais passam a ser “filhos” de seus próprios filhos.

O conflito de gerações
Em geral, o idoso tem dificuldade de aceitar as mudanças que acontecem no comportamento humano. Entender que a tatuagem não é mais coisa de “bandido” ou que uma calça rasgada está na moda e não é “feio”, é um processo que requer paciência, de ambos os lados.
Assim como o idoso precisa “aprender” que essas coisas são “legais”, o jovem pode – e deve – investir um pouquinho do seu tempo para ouvir suas tantas histórias, o que pode facilitar a compreensão do porquê ele enxerga as coisas de forma tão “diferente” e com isso, aprender e muito!

A tecnologia
A velocidade com que a tecnologia vem invadindo e mudando nossas vidas e hábitos diários é assustadora até mesmo para nós, “mais jovens”, certo? Ainda assim, para crianças e jovens é tudo muito rapidamente absorvido e usado!
Agora, imagina para uma pessoa que nasceu em uma época que ainda nem mesmo tinha telefone ou televisão?!?!
Então, tenha paciência com aquele idoso que não consegue entender como usar o WhatsApp ou Facebook, por exemplo, e ajude-o a se inserir nesse mundo tecnológico! É importante para ele (:

O conviver
Eu convivo com idosos há mais de 10 anos, e costumo dizer que, mesmo sendo professora, aprendo muito mais do que ensino. Alguns relatos ou dicas, como: “se eu soubesse, não me preocuparia tanto com aquela sujeirinha no canto das sala”, que podem a princípio parecem tão irrelevantes, tornam o nosso dia a dia e a nossa convivência com todos ao nosso redor, muito mais leve e harmoniosa.

É aquele velho ditado que diz mais ou menos assim: “Quem dera eu ter a sabedoria que tenho aos 70, com a disposição que tinha aos 20 anos.”

Portanto, aproveite o idoso que tem perto de você para fazer da sua vida mais rica, mais sábia e mais feliz!

Veja outros posts

11 de junho de 2015

DIA DOS NAMORADOS

O amor, ah o amor! Acho muito interessante a forma como o amor evolui dentro das nossas mentes e dos nossos corações… No início de um relacionamento tudo é maravilhoso. …

13 de janeiro de 2017

Arte como terapia

“Trabalhos manuais ajudam a despertar os requisitos básicos de auto-estima. Além de ser uma forma de muitas pessoas serem inseridas na sociedade, estimula o sentimento de se sentir capaz e …

24 de maio de 2016

O idoso e a tecnologia

Nos últimos anos vem acontecendo um crescente e contínuo envelhecimento da população e, junto a esse crescimento, a tecnologia vem se desenvolvendo exponencialmente a cada ano. Embora esse conjunto de …