9 de janeiro de 2019

Ginástica Funcional para idosos

A prática de atividade física regular traz inúmeros benefícios ao nosso organismo, nos garantindo um envelhecimento mais saudável e uma vida mais longa! Quanto antes começarmos a nos movimentar regularmente, melhor para nossa saúde física e mental.

Envelhecimento e atividade física

O envelhecimento vem acompanhado de um constante e gradativo declínio das nossas capacidades funcionais. Com ele, perdemos força muscular, equilíbrio, condicionamento aeróbico, resistência e flexibilidade, por exemplo. A prática de atividade física regular vai fazer com que esse declínio seja mais lento e menos prejudicial à saúde do idoso, resultando em uma melhora na sua qualidade de vida.

Ginástica funcional para idosos

Existem diversos tipos de atividades físicas, mas a ginástica funcional é uma das melhores opções para a população idosa. Isso porque trata-se de um programa de exercícios que utiliza como carga basicamente o peso do corpo, simulando movimentos que são comumente realizados no dia a dia, como pegar um objeto em um armário acima da cabeça ou se abaixar para juntar algo que caia no chão. Sendo assim, fazer com que o idoso pratique exercícios de forma mais parecida com suas atividades cotidianas, irá facilitar os movimentos no dia a dia.

Exemplos de exercícios funcionais

Para facilitar sua compreensão, vamos listar e descrever alguns exemplos de exercícios comumente utilizados em nossas aulas de ginástica funcional:

  • Sentar e levantar da cadeira: o exercício consiste basicamente em sentar e levantar de uma cadeira, sem ajuda do apoio dos braços, forçando apenas os membros inferiores, resultando no fortalecimento muscular das pernas, além de estimular o equilíbrio durante o movimento.
  • Flexão lateral do tronco: sentado em uma cadeira, o idoso inclina o tronco para a lateral, levando a mão no chão, como se fosse pegar algo ao lado da cadeira, voltando ao centro. Pode ser realizado com um peso nas mãos ou apenas com o peso do corpo, trabalhando a mobilidade do tronco, bem como o fortalecimento e alongamento dos músculos de abdomen e da região lombar.
  • Elevação dos braços: segurando um bastão com as duas mãos, afastadas na largura do ombro, o aluno vai erguer os braços acima da cabeça, retornando lentamente com as mãos nas coxas. O exercício vai trabalhar alongamento da musculatura peitoral e fortalecimento dos membros superiores e ombros.

Orientação de um professor

Apesar de serem exercícios de simples execução, é sempre muito importante lembrar que a orientação de um profissional de educação física é primordial, principalmente quando falamos da população idosa. A execução incorreta de um movimento pode causar graves lesões, resultando justamente no contrário do que estamos buscando, que é a qualidade de vida e o bem estar do idoso.

Então, vamos nos movimentar! Afinal de contas, bem estar não tem idade!

Veja outros posts

18 de fevereiro de 2016

Aumento da população idosa

O aumento da população idosa brasileira e no mundo está acontecendo de forma gradativa e crescente, sendo que o número de pessoas no Brasil com mais de 60 anos, tende …

23 de outubro de 2018

O idoso do século XXI

Quem não lembra daquela vovozinha, lá pelos anos 80, com seus sessenta e poucos anos, de coque escovado no cabelo, saia abaixo do joelho, fazendo tricô no sofá ou indo …

24 de julho de 2017

O que meu avô significa pra mim

Em homenagem ao dia 26 de julho, Dia dos Avós, pedimos para algumas pessoas descreverem em poucas palavras o que seus avós significam pra si. Percebemos que apesar da diferença …