16 de setembro de 2014

Pilates na Terceira Idade

Há uma série de dúvidas em relação a prática do pilates, em especial, na terceira idade. Preparamos algumas questões que esclarecem um pouco sobre o tema.

O que é o Pilates?

O Método Pilates consiste em exercícios físicos cuja característica principal é o trabalho resistido (força) e alongamento dinâmico. Os exercícios são regidos pelos seguintes princípios:

– Respiração, que deve ser profunda e compassada;
– Ativação do Power House, que é a contração da “casa de força” do nosso corpo (abdômen);
– Precisão e Controle, através da execução correta e coordenada dos movimentos;
– Fluidez dos movimentos, ou seja, depois de adquirir coordenação e controle dos exercícios, com a prática os alunos desenvolverão um ritmo e passarão de um exercício para outro sem interrupções;
– Concentração ao executar os movimentos, favorecendo a percepção corporal, melhorando assim a eficiência do método. O Pilates é conhecido também como um conjunto de “exercícios pensantes”, portanto envolve corpo e mente considerando-se uma unidade.

O idoso pode praticar Pilates?
O Pilates para a terceira idade traz inúmeros benefícios, tais como: melhora na flexibilidade, força muscular, equilíbrio e coordenação motora; oferece também reeducação postural e como conseqüência alívio das dores decorrentes da má postura corporal e dos desequilíbrios musculares; há redução do stress, e principalmente melhora na auto-estima do idoso, uma vez que ele consegue realizar uma série de exercícios que anteriormente não se julgava capaz.
A manutenção e/ou melhora dessas capacidades físicas são importantes para essa população, pois contribuem na realização das atividades do dia-a-dia do idoso como levantar-se da cama, vestir-se, se deslocar, que são atividades diárias básicas que, para idosos inativos fisicamente, se tornam intensas e com elevado grau de dificuldade.
O Pilates também contribui muito para a tomada de consciência corporal, trabalhando mente e corpo de maneira conjunta, pois exige coordenação, controle e concentração durante toda a aula. Dessa forma, o idoso passa a se perceber melhor, tanto mentalmente quando corporalmente, conhecendo suas limitações, seus avanços e suas possibilidades.

E as dores nas costas e articulações?
Um dos maiores benefícios está sob uma das queixas frequentes dessa faixa etária: as dores na coluna. Durante o processo do envelhecimento há uma série de alterações musculares e articulares que tendem a alterar a postura. Nesse caso, o Pilates vem agir ao fortalecer essa musculatura, passando a ser utilizada de maneira correta, economizando energia, e aliviando e reduzindo tais dores.
Além disso, trata-se de execução de exercícios de baixo impacto e pressão sobre as articulações. Ou seja, ocorre atuação sobre os músculos estabilizadores, eliminando assim a tensão e evitando as compensações, poupando as articulações. Esta característica favorece muito o alívio em dores causadas pelo excesso de peso e/ou lesões articulares, principalmente nos joelhos.

Quais os principais cuidados ao se trabalhar o Pilates com idosos?
Ao tratar do Pilates para a Terceira Idade é preciso pensar sobre: progressões, restrições e possibilidades. Muitos idosos chegam nessa fase da vida sedentários e com algumas limitações. Dessa forma, uma avaliação física inicial é fundamental para que o profissional possa desenvolver o treinamento adequado do Pilates para o idoso. Inicialmente, é importante que os idosos executem os exercícios de nível básico, enfatizando dois princípios básicos: respiração e “Power House”. Com o decorrer das sessões e conforme a progressão do aluno, o profissional poderá propor exercícios que exijam novos graus de dificuldade, sempre respeitando a sua condição física naquele momento, sendo necessário em alguns casos trazer algumas adaptações aos exercícios com o objetivo de fortalecer, alongar e melhorar a execução do movimento preparatório, para então iniciar o movimento completo.

Por estas características, médicos e fisioterapeutas tendem a indicar o Pilates como prática de atividade física, pois o método contribui de forma significativa na saúde física e mental do idoso. É um método que está em alta no mercado da atividade física e saúde e além de desenvolver força, flexibilidade e coordenação, traz menos riscos de lesões, pontos importantíssimos para essa faixa etária.

Gisele Antunes do Livramento – Profissional de Educação Física/ CREF:021019/PR

Veja outros posts

18 de abril de 2016

Você sabe quem foi Tiradentes?

Joaquim José da Silva Xavier, mais conhecido como Tiradentes, foi um dos principais líderes da Inconfidência Mineira, conspiração de natureza separatista, da então capitania de Minas Gerais, que ia contra …

19 de setembro de 2017

Movimento LAB60+

Você conhece o LAB60+? Se você desenvolve uma iniciativa inovadora com impacto positivo para a revolução da longevidade, participe deste Movimento! Amplie sua rede de parceiros, obtenha visibilidade para seu …

12 de junho de 2017

Santo Antônio

Santo Antônio de Lisboa é um dos santos honrados nas popularíssimas Festas Juninas e diversos costumes folclóricos estão ligados a ele. A título de exemplo, no Brasil moças casadoiras retiram …