4 de julho de 2016

Causas da depressão e ansiedade em idosos: Como se prevenir?

Quadros depressivos são recorrentes em idosos em nossos dias. A depressão no momento da velhice se caracteriza como um estado de humor triste prolongado, que pode ser proveniente de perdas irreparáveis que ocorreram na vida do idoso.
Nesta fase da vida começam a assistir à morte de entes queridos, o distanciamento de familiares e amigos, a perda da função e do papel social. Muitos, na condição de aposentados, literalmente se recolhem aos aposentos.
Neste momento da vida, se faz imprescindível que os que cercam os idosos possam estar atentos aos sinais de depressão, pois quanto antes ajuda possa ser oferecida, tanto mais significativa será a qualidade de vida na velhice.

Alguns sinais para os familiares perceberem de que o idoso pode estar se deprimindo:
1) Desinteresse por quase tudo o que ocorre ao seu redor
2) Vontade de permanecer por um longo período de tempo sozinho
3) Redução da autoestima refletida na negligência com os autocuidados, falta de vontade de se arrumar, desleixo com a aparência e com a higiene
4) Irritabilidade exagerada, mau humor contínuo
5) Queixas em relação ao corpo: Dores constantes relacionadas às dores emocionais

Os grupos de idosos são poderosos aliados no trato da depressão proveniente do isolamento e das diversas perdas nesta fase da vida.
Atividades em grupos para idosos reduzem as chances de formação de quadros depressivos e de ansiedade, pois o convívio entre pares eleva a autoestima, estimula o sentimento de pertença, identidade e segurança. O grupo promove socialização e oportuniza a ampliação das amizades e dos laços sociais. Sendo assim, os limites e obstáculos impostos pelo envelhecimento são convertidos em força para tocar a vida para frente ainda com sentido, projetos e afetos, pois a coisa mais moderna que existe em nossos dias é envelhecer.

Frente à revolução da longevidade no século, em que os avanços tecnológicos da biomedicina acrescentarão anos à vida, o idoso que participa de grupos de convivência tem a oportunidade de acrescentar vida aos anos que ainda estão por vir!

Dra. Regina Célia Celebrone Lourenço (CRP08/6176)

Veja outros posts

25 de abril de 2017

Não nascemos prontos

A terceira idade chega… E chega carregada de experiências, inúmeras lembranças e grandes aprendizados. A cada dia vivido até a chamada melhor idade, algo aconteceu. Uma escolha que foi feita, …

6 de março de 2015

Revolução da Mulher Idosa

Diante de alguns exageros de feministas extremas que reivindicam mais direitos e apelam para o reconhecimento das mulheres como pessoas competentes e capazes, deveríamos voltar no tempo e observar como …

2 de outubro de 2014

Afinal, como é ser idoso?

Pergunta que poderíamos fazer hoje no Brasil, para mais de 21 milhões de pessoas. Ouviríamos as mais diversas respostas. Algumas carregadas de sofrimento, frustrações,, arrependimentos, outras bem humoradas, repletas de …